Friday, 4 July 2008

The Legend

Tudo comecou com um inocente e-mail do Barbican (um centro cultural e habitacional fantastico na city – merece um post dedicado soh a ele). Era um desses e-mails com uma lista das atracoes para o verao e lah vimos que ia rolar um festival ‘Groove Nations’ com muito soul e funk from all over the world. Ficamos interessadas, mas nao sabiamos em qual show. Depois de uma rapida consulta aqueles entedido do assunto ficamos sabendo que uma das atracoes deste festival era o Solomon Burke – uma lenda da soul music contemporaneo de ninguem mais ninguem menos do que James Brown e Ray Charles e com um repertorio tao fantastico e conhecido quanto o de ambos.

Comprei o ingresso na mesma hora (meses atras).

Ontem foi o dia do grande show. Tinha uma certa espectativa, eh claro. Estava louca de vontade de ouvir alguns dos meus classicos favoritos entre os quais Cry To Me (parte da trilha sonora de Dirty Dancing) and Everybody Needs Somebody (mais que conhecida, jah foi gravada pelos Rolling Stones e eh a musica do grande finale do filme Blue Brothers). Um pouco curiosa tambem pra ver como seria um show desses num auditorio com uma plateia inglesa sem a energia calosora a qual estamos acostumados no Brasil.

Foi ai que entendemos o peso pesado que o cara realmente eh. (Literalmente – ele esta tao gordo que precisa ser levado ateh o palco numa cadeira de rodas e passa o show inteiro sentado numa especie de trono no centro do palco e pertinho da plateita). Um rei vivo da soul music que fez a gringalhada levantar das cadeiras e dancar enlouquecida.



‘This night is for you. I want to make my best to you tonight. I’ll answer your special requests. What would you like me to sing?”

E assim ele continuou, tratando todos nohs ali como special guests. Tocou seus grandes classicos e evocou a brotherhood da soul music atraves de um medley de tirar o folego que comecou com Georgia on My Mind, passou por Stand By Me e por ai foi... Cheio de carisma e cariho com a plateia e uma banda tao excentrica quanto ele com um pianista que parecia o proprio Ray Charles encarnado.

A certa altura a mulherada comecou a subir no palco para beija-lo e dizer obrigado e aos poucos os timidos ingleses foram tomando conta deixando os segurancas enlouquecidos.

“You there. Stand up. You are my personal body guard now. I need you to help me. See all these roses? They are for the special ladies here tonight. I need you to help me and make sure they all go home with a rose tonight”.

Eu voltei com a minha. :-)

2 comments:

Edgard Xavier said...

Juba esta deu "inveja",continue aproveitando o verao londrino, com seus shows e espetáculos.Primeiro mundo é outra coisa!!
Bjs.
Papi

Renato said...
This comment has been removed by the author.